quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sou pai, mas sinto saudades de ser filho.

Lembro-me muito bem e me dá uma saudade de quando era filho:

-       das broncas que levava por uma travessura;
-       do receio de entrar em casa quando cometia alguma “arte”;
-       de lavar a louça e ajudar no serviço da casa e ver a alegria da minha mãe com isso;
-       de ser cuidado com aquela súbita febre às vésperas de uma prova na escola;
-       do encorajamento diante das novidades da vida;
-       da cumplicidade da perda de algo que não dera certo;
-       do pegar na mão orientando que mentira tem “perna curta”;
-       da explicação que sempre vale a pena preservar o nome e ser honesto;
-       da certeza da educação que me passava meus pais de que tudo tem conserto;
-       de todos os “por quês” respondidos.

Enfim, que paciência conosco.

E foi tudo isso e muito mais que não relatei acima que me fizeram ser um pai para os meus filhos.

Não quero dizer que foram dias melhores dos que vivo hoje. Tudo tem o seu tempo. São fases.

Eclesiastes 7:10     
“Jamais digas: Por que foram os dias passados melhores do que estes? Pois não é sábio perguntar assim.”

No genuíno amor de Cristo e sua graça,
Pastor José Otávio Kanay

Um comentário:

  1. Sou mãe e sinto orgulho de ver meu filho agindo com o meu neto do mesmo jeito que eu agia com ele, no que se refere à educação e nos princípios cristãos que tentei passar. Graças a DEUS que posso ver o fruto maduro e especial que pude colher dessa minha vida com Cristo Jesus!Esses dias têem sido melhores do que os passados e ainda virão outros superiores como afirma a Palavra de DEUS!

    ResponderExcluir