quarta-feira, 30 de março de 2011

Vai ganhar no grito?!

Meus colegas de trabalho jogavam bola toda 6a. feira.
Tínhamos um Diretor que havia conseguido o campo de futebol "society", a bola, os uniformes, etc.
Era muito "mandão".
Certa vez ele deu um chute e a bola foi para a linha de fundo. Na mesma hora ele gritou:
- Gooooooooollllllllllllllllllll!

Todos olharam atônitos. Pasmos.

Ele correu, pegou a bola e a levou até o meio de campo, num gesto que caracteriza o reinício do jogo, após um gol.

Um colega nosso se atreveu:
- O que é isso??!! Não foi gol não.

Ele partiu sobre o nosso colega e aos gritos lhe impôs o pseudo-gol.

Ninguém mais quis afrontá-lo. A partida continuou com aquele gol (que gol???) no placar.

Aos poucos foram deixando de participar do "descontraído" joguinho de bola.

(Essa história é verídica).

Traga ela para o espiritual.
- Nós sabemos como se joga o jogo;
- Sabemos qual a posição de cada um no jogo e fora dele;
- Sabemos quem é o árbitro (juiz);
- Sabemos a regra que norteia a partida;
- Sabemos respeitar a individualidade (talentos e dons) de cada um;
- Sabemos quando começa e quando termina o jogo; e
- Principalmente: Sabemos quando é gol!

Precisamos sim de um técnico (treinador), para nos orientar. Mas nada deve ser feito aos gritos, de uma forma grosseira, perversa ou cruel.

O bom técnico extrai o que de melhor temos a oferecer. Ele potencializa tudo isso a favor da equipe que dirige.

Conclusão: Faça a sua parte. Se volante, volante. Se goleiro, goleiro. Se lateral-direito, lateral-direito.
Só assim teremos um time, uma equipe, vencedora.

Em Cristo,
Pastor José Otávio Kanay

Um comentário:

  1. LINDO EXEMPLO! PASTOR KANAY, SEMPRE COM PALAVRAS INSPIRADORAS, INCENTIVADORAS.... AMAMOS VOCÊS!
    PATRÍCIA, KENEDY E CIA

    ResponderExcluir